Movimento Paulistano de Luta Contra a Aids call [11] 98212-6950 email mopaids@gmail.com

ANEL VAGINAL é recomendado pela OMS na prevenção combinada do HIV

Anel vaginal com dapivirina (DPV-VR) deve ser oferecido como uma opção de prevenção adicional para mulheres com risco substancial de infecção por HIV.

Agência Aids
08/02/2021

A Organização Mundial de Saúde passou a recomendar, na última semana, o anel vaginal com dapivirina (DPV-VR) possa ser oferecido como uma opção de prevenção adicional para mulheres com risco substancial de infecção por HIV como parte das abordagens de prevenção combinada.

O DPV-VR é uma opção iniciada por mulheres cis para reduzir o risco de infecção por HIV. Para o uso adequado do anel, ele deve ser usado dentro da vagina por um período de 28 dias, após o qual deve ser substituído por um novo anel. O anel é feito de silicone e é fácil de dobrar e inserir, e funciona liberando o medicamento antirretroviral dapivirina do anel para a vagina lentamente ao longo de 28 dias.

Dois ensaios clínicos randomizados de Fase III descobriram que o uso do DPV-VR reduziu o risco de infecção pelo HIV em mulheres e o uso a longo prazo foi bem tolerado. O estudo Ring demonstrou uma redução do HIV de 35% entre as mulheres que usam DPV-VR, e o estudo ASPIRE uma redução de 27% no risco.

Os resultados dos estudos de extensão abertos dos ensaios mostraram aumentos no uso do anel e os dados de modelagem sugerem maior redução de risco – em mais de 50% em ambos os estudos – em comparação com os ensaios de Fase III. As análises secundárias dos dados do ensaio também sugerem maior redução do risco entre as mulheres que usaram consistentemente o DPV-VR.

O DPV-VR destina-se a reduzir o risco de contrair o HIV durante o sexo vaginal para mulheres que estão em risco substancial de contrair HIV como uma abordagem de prevenção complementar, além de outras práticas sexuais mais seguras. Pode ser oferecido junto com a PrEP oral como uma opção para mulheres que não desejam ou não podem tomar um comprimido oral diariamente. Embora os anéis vaginais contraceptivos estejam disponíveis há vários anos, o DPV-VR é o primeiro produto de prevenção do HIV vaginal. A pesquisa está em andamento para desenvolver um anel vaginal que inclui anticoncepcionais e prevenção do HIV.

Resultado de muito trabalho

Desde novembro de 2020, o DPV-VR foi incluído na lista de pré-qualificação de medicamentos da OMS. Isto seguiu-se ao parecer científico positivo da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) ao abrigo do artigo 58.º sobre a utilização do DPV-VR para a prevenção do HIV, que foi concedido em julho de 2020.

Em uma reunião recente do Grupo de Desenvolvimento de Diretrizes da OMS, o Grupo formulou uma recomendação condicional apoiando a oferta do DPV-VR. O Grupo avaliou que os benefícios do DPV-VR superam os danos com base em uma revisão sistemática e meta-análise das evidências científicas apresentadas a eles. Esta evidência incluiu o custo-efetividade do anel vaginal dapivirina, aceitabilidade, viabilidade demonstrada e o potencial para aumentar a equidade como uma escolha de prevenção adicional, observando alguma variabilidade na eficácia em grupos de idade mais jovens e dados limitados sobre o uso entre mulheres grávidas e lactantes.

O Grupo de Desenvolvimento de Diretrizes delineou considerações de implementação e lacunas de pesquisa a serem consideradas na implementação deste produto. Isso incluiu abordar o fornecimento do DPV-VR como parte de serviços abrangentes; garantir que as mulheres recebam informações completas para fazer uma escolha informada sobre os benefícios e riscos potenciais ao considerar o uso do anel; meninas adolescentes e mulheres jovens podem precisar de mais apoio durante a iniciação e para a continuação; aceitabilidade entre mulheres de grupos populacionais chave; suporte adicional de aderência e criação de demanda; treinamento e suporte para que os provedores entendam e sejam capazes de oferecer este novo produto; mais informações sobre segurança na gravidez e amamentação e relação custo-benefício.

A OMS enfatiza que, ao fornecer serviços de prevenção ao HIV para mulheres, é importante fornecê-los juntamente com outros serviços, incluindo a oferta de outras opções de prevenção do HIV, diagnóstico e tratamento de IST, a oferta de serviços voluntários de parceiros, teste de HIV e links para terapia antirretroviral para todas as mulheres que testam positivo e uma variedade de opções de contracepção. Os serviços também devem ser fornecidos às mulheres que sofrem violência pelo parceiro íntimo e os profissionais de saúde precisam ser treinados para prestar serviços que respeitem e incluam as mulheres em toda a sua diversidade.


Redação da Agência de Notícias da Aids


Notícias relacionadas:


Pílula, Anel Vaginal ou Injeção de longa duração: o futuro da prevenção do HIV é a escolha
UMA PÍLULA, UM ANEL OU UMA INJEÇÃO: O FUTURO DA PREVENÇÃO DO HIV É A ESCOLHA
Embora esses métodos de prevenção dêem às pessoas muito mais opções de como se proteger contra o HIV, eles só têm valor se as pessoas realmente fizerem uso.

Anel Vaginal que previne gravidez e HIV
ANEL VAGINAL QUE PREVINE GRAVIDEZ E HIV TEM BONS RESULTADOS EM TESTES
Por 90 dias, o anel liberou níveis regulares do antirretroviral dapivirina, que impede a infecção pelo HIV, e do hormônio levonorgestrel, que previne a gravidez.

Europa aprova anel vaginal com dapivirina para prevenção do HIV em mulheres
AGÊNCIA EUROPEIA DE MEDICAMENTOS APROVA ANEL VAGINAL CONTRA HIV PARA PREVENÇÃO EM MULHERES
O anel é a primeira opção de prevenção do HIV projetada especificamente para mulheres desde que o preservativo feminino foi aprovado há quase 30 anos.